Estado estalinista: perseguição visa coagir Serra

 Trupe
Agripino, João Faustino, Rogério Marinho, José Serra e Rosalba Ciarlini

Mais uma vez as garras comunistas são vistas cairem sobre os íntegros e inocentes homens de bem que labutam dia e noite pelo progresso da Pátria, militando ativamente ao lado dos grandes líderes da história nacional. Com as investidas bolchevistas através do estado policialesco, o sinal está fechado para aqueles que defendem a causa dos homens bons, visto que o marxismo satânico esmaga os oprimidos através dos agentes do petismo atroz infiltrados em todos os níveis da justiça brasileira.

Esta sórdida campanha visa demolir as colunas que sustentam a luta anti ditatorial no Brasil, principalmente no nordeste, onde a principal vítima foi aquele escolhido a dedo pelo nosso grande líder varonil, para integrar a frente contra a ditadura lullodilmal, atingindo o grande faxineiro da nação, senador, A. Maia. Deixemos que o principal injustiçado diga com suas palavras o porquê dessa perseguição vil:

Eu era subchefe do Gabinete Civil do governo de São Paulo. Deixei essa função para colaborar com o governador. Ele ainda não formou sua equipe de coordenação (de campanha), não existe ainda um coordenador, nem coordenadores regionais. Estou colaborando na condição de amigo pessoal dele, de colaborador que sou dele. Fui vice líder de Serra na Câmara dos Deputados. Sempre que convocado por ele, como eu tenho sido, procuro colaborar com esse projeto de 2010. Esse projeto (2010) ele só quer deflagrar a partir de fevereiro do ano que vem. Os eventos dos quais ele participa são eventos meramente administrativos, culturais, não têm assim a conotação nitidamente política. Tanto que em Exu ele fez questão de ser recebido quase que exclusivamente por lideranças locais.

Ora, senhores, fica claro que a ação da polícia política é motivada apenas pelo interesse repugnante de atacar e enfraquecer as hostes dos homens bons, além de intimidar e coagir nosso grande Almirante do Tietê, inundando a mídia comprada com as mentiras e falsas acusações, num verdadeiro linchamento político de pessoas íntegras e de ilibada reputação.

Facebook Comments
Compartilhar

33 comentários sobre “Estado estalinista: perseguição visa coagir Serra

  1. Correio do Brasil?
    Onde o Sr. achou este pasquim comunista mestre?
    E ainda por cima um artigo do José Dirceu.
    Depois desta só um Lexotan.

  2. Mas que maldade com o maior perdedor, digo com o mais preparados dos brasileiros. Mas porque se persegue o mister bolinha? -Porque ele NASCEU!; -É a minha natureza!

    Vamos deixar disto pessoal, Se ele se candidatar de novo (e vai!) podemos até lançar um slogan para a campanha dele: “SERRA LEVA UMA SURRA!”

  3. Mestre Hariovaldo: é um absurdo o que se faz neste paiz contra homens tão probos e honrados. Já é mais que hora de se buscar apoio da 4ª Frota e do TG-58 para se acabar com essa avacalhação e colocar essa comunistada toda nos seus devidos lugares. Estou plenamente de acordo com Vossência. Que Serapião e Escrivá nos salvem dessa escumalha!!!

  4. REINARDIANO E TRANSCORGUIANO MESTRE PROFESSOR HARI PRADO

    O Que é isso mestre? Resolveu adotar os inefáveis “vermelho e azul” do grande filho da pátria de Veja? Cuidado mestre. Essa doença pega.

    Como moro no interiorrrr, acompanho as notícias das cidades vizinhas (vizinhas no caso é em torno de 100 km em volta). Pois é. Soube que houve um assalto cinematográfico, numa agência bancária, na cidade natal do Zé Reinardo. Dizem que foi o maior terrorismo. Absurdo! Mesmo com a excelente polícia do Estado de São Paulo, a melhor do mundo, esses meliantes ainda tem coragem para isso. Não adianta. Só a pena de morte para resolver o problema da segurança no Brasil.

    Alvíssaras!

    1. “Resolveu adotar os inefáveis “vermelho e azul” do grande filho da pátria de Veja? ”
      Passei a noite em claro tentando decifrar esta frase…mas não adianta….não consigo!!!!

      1. Caro Damião,

        Para quem frequenta aquele lugar lúgubre tá fácil. Sim, às vezes temos que usar um pregador no nariz e adentrar aquele recinto.

        É o seguinte: O escriba, com falta de assunto, pega alguma coisa declarada ou escrita de algum outro jornalista, comentarista, etc. e reproduz letra por letra “em vemelho” o que falaram.

        Aí responde “em azul” contrapondo e combatendo todos os argumentos do “petralha”. É isso. Pergunte ao Leitor de Veja se não é assim.

        Sasudações.

  5. Mestre Harí (o defensor dos persseguidos e persseguidas) .
    Estou deveras indignado com esta malta que vê maldades em uma amizade tão bela e desinteressada .Nós homens bons somos conhecidos por amar desinteressadamente ao próximo , desde que ele seja branco , rico e cheiroso .Será que Dom José irá levar o “jumbo” para seu muy amigo que se encontra privado da companhia do bom bom senador Demista ?

  6. Professor Hari e demais confrades deste oásis cibernético. Diz um ditado espanhol : “Não crie corvos porque eles comerão seus olhos”. Seria melhor criarmos tucanos, sempre confiáveis, seguindo o padrão esperado e sem surpresas.
    Chegando mais uma 6ª feira, onde tivemos uma semana agitada, um post belíssimo sobre o Generalíssimo e o atual, onde recordar é viver, deixo um belo vídeo, como de costume, preparando a animada malhação do final-de-semana. Osculos sinceros a todos.
    http://www.youtube.com/watch?v=25ckdkg1xCw

  7. Caro Leitor da Veja, com tantas más notícias para o tucanato, gostaria de saber como anda o clima lá no sitio do Cabeção. “Mande notícias do mundo de lá , diz quem fica”..

  8. Caríssimos,vejam o que é a PeTulância de quem não reconhece o seu lugar, e não sabe respeitar e se curvar ao som do chicote. E o pior, é que estes subversivos, quando se juntam no eixo do mal (Brasília-Caracas-Quito-Lapaz-Buenos Aires) esquecem completamente a sua condição de vassalagem transformando a próspera ordem geopolítica da américa latina dos anos 90 neste caos de miséria e insubmissão que afligem o povo latino americano. Tal como sugere o título da matéria abaixo:

    http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,presidentes-latino-americanos-criam-bloco-regional-e-deixam-eua-de-fora,805750,0.htm

  9. Adamasco Mestre,

    Esses comunas pífios comiam coração de criancinha e agora querem comer fio-o-fó de carecas jurássicos?
    Bão sei onde vamos parar…..

  10. Mestre et confraria, nem tudo está perdido quando ainda resta uma esperança. Tenho fé demais que nosso Almirante do Tietê e seu imediato J. Faustino sejam condecorados por um príncipe em reconhecimento aos relevantes serviços prestados à província de São Paulo de Piratininga.
    http://www.flickr.com/photos/prb10sp/4438420369/
    http://www.fighteronline.com.br/conteudo.php?cat=6&id=317
    http://www.tribunacatolica.com.br/2011/02/abla-solenidade-do-dia-19-de-fevereiro.html
    Alvíssaras!

  11. Confrades opulentos!

    Outra péssima notícia para o PSDB.
    A polícia política prendeu uma de suas crias: Marcos Valério. Que todos sabem foi o gestor do “mensalão” implodido em 2005 pelo tenor Robert, quando “botou a boca no trombone”. Seria desvio de função um tenor usar o trombone?

    Agora, um jornal carioca insinua que os “petralhas” teriam surfado nos métodos tucanos de fazer campanha:
    http://www.jb.com.br/pais/noticias/2011/12/02/empresario-marcos-valerio-do-mensalao-e-preso-em-belo-horizonte/
    ” Concebeu e geriu, em 1998, o esquema do valerioduto tucano que foi um suposto esquema de financiamento irregular, com recursos públicos e doações privadas ilegais, campanha da reeleição do então governador mineiro e atual senador Eduardo Azeredo (PSDB), criando um esquema que foi o precursor e, segundo as palavras do Procurador Geral da República, foi o laboratório do mensalão. Mas Valério só veio a ganhar os holofotes da cena política brasileira no início de junho de 2005, quando o deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) fez suas primeiras acusações sobre o suposto esquema do “Mensalão”.

    Diante deste absurdo, nosso partido PSDB deveria ir ao STF contra o PT por plágio.

    Ciao.

    1. Restringente Dj Salafraia, faz-se mister esclarecimentos sobre as corretas funções orquestro-musicais dos integrantes deste “agrupamento”. Assim sendo, não recomendamos o ecleticismo dissonante d’aquele que não possui a devida capacitação para o desempenho da tarefa, exceto nos casos: precariedade nos recursos e ou de contigente. Tolera-se, diante de tal circunstância, o uso de tenores que deslizam no falsete, tentarem a sorte no trombone, tarefa perigosa, que diante do insucesso pode acarretar seu remanejamento para tocar flautas na melhor das hipóteses e tocar harpa, na pior delas. Amém.

  12. O comuno-petralhismo acha que somos que nem eles, que abandonam os companheiros que tenham a desventura de cair à beira da estrada, pra ser capturado pelas hordas gendarmes barbarescos. Negativo. Nós resgataremos JOÃO FAUSTINO, porque ele ainda será bastante útil à nossa causa nobre.

  13. Impoluto e honestíssimo Mestre Hariovaldo.

    A perseguição aos homens bons não para neste Brasil tingido de rouge-carmin. Que o diga o semideus Roger Agnelli, que esteve à frente da Vale. Agora que a búlgara e seu ministro da Fazenda o tiraram do posto que a ele pertencia por mérito, o governo bolchevique insiste em cobrar uns trocados que a companhia ficou devendo ao fisco.

    É um absurdo, pois o dinheiro que deixou de entrar para os cofres vermelhos foi usado para encomendar gloriosos navios gigantes, capazes de atracar em qualquer porto seguro, levando prosperidade à Nação e aos acionistas da Vale.

  14. Senhores e especialmente para Vivi, grande fã de meus sambas enredos e Silvio Caldas, especialista em sambas-canção.

    Hoje é o Dia do Samba. Poucas homenagens, pelo que se vê, com exceção dos exemplos aí de cima: do grande João e da homenagem ao poetinha. Ritmo trazido da África só veio a ser chamado de samba na primeira gravação, parece que um samba de Donga: “Pelo Telefone”, acho que na década de 20.

    Podemos dizer que hoje é o ritmo da gentalha, devido a esses pagodes terríveis, que, quando não são aquele romantismo água-com-açúcar são esses sambas com duplo sentido. Coisa terrível.

    Costumo sempre dizer. Se você ligar a TV e tiver mais de quatro caras se mexendo,fazendo passos marcados, cada um com um tambor e só um cantando, fuja disso, porque é mais um terrível “conjunto de pagode”. Que pobreza! Tanta gente para fazer essas barbaridades quando apenas um só consegue produzir obras primas da canção: Paulo Sérgio Pinheiro, Paulo Vanzolin, para ficar só nos modernos, ou no Cartola, para lembrar dos antigos.

    Pois é. O samba é em compasso binário, quer dizer 2:4. O rock, balada, o fox-trote, o jazz, músicas que assolaram e assolam nossos colonizados países latinos é um 4:4. Quadradinho. Alguns teóricos dizem que esse ritmo nos é mais aprazível porque lembra a batida do coração da mãe, quando ainda estávamos no útero. Ao escutar a batida constante: tum,tum,tum,tum nos lembramos da batida e apreciamos a música. Pode ser.

    E o samba? É desagradável de ouvir? Se levarmos em conta o coração sofrido dos brasileiros acredito que é o ritmo mais eficiente. Sim, porque coração de brasileiro é assim: “bate uma outra falha” como já dizia a música. É o ritmo mais adequado.

    Mas o samba foi esperto. Os homens bons da década de 60, os que moravam no Leblon, em Ipanema, todos classe média alta, pegaram o samba tradicional e o tranformaram em bossa-nova, usando acordes de jazz. Mudaram um pouco a batida do samba, mas contiuou a ser isso: SAMBA. Mas sofisticado, falando em praia, em amores urbanos, em avião, em Roleflex, etc.

    Isso foi uma revolução musical no mundo. Todas as dondocas queriam aprendera a tocar violão (antes proscritos aos malandros) para ficar na moda. A música ganhou os USAsdpasi

  15. Senhores e especialmente para Vivi, grande fã de meus sambas enredos e Silvio Caldas, especialista em sambas-canção.

    Hoje é o Dia do Samba. Poucas homenagens, pelo que se vê, com exceção dos exemplos aí de cima: do grande João e da homenagem ao poetinha. Ritmo trazido da África só veio a ser chamado de samba na primeira gravação, parece que um samba de Donga: “Pelo Telefone”, acho que na década de 20.

    Podemos dizer que hoje é o ritmo da gentalha, devido a esses pagodes terríveis, que, quando não são aquele romantismo água-com-açúcar são esses sambas com duplo sentido. Coisa terrível.

    Costumo sempre dizer. Se você ligar a TV e tiver mais de quatro caras se mexendo,fazendo passos marcados, cada um com um tambor e só um cantando, fuja disso, porque é mais um terrível “conjunto de pagode”. Que pobreza! Tanta gente para fazer essas barbaridades quando apenas um só consegue produzir obras primas da canção: Paulo Sérgio Pinheiro, Paulo Vanzolin, para ficar só nos modernos, ou no Cartola, para lembrar dos antigos.

    Pois é. O samba é em compasso binário, quer dizer 2:4. O rock, balada, o fox-trote, o jazz, músicas que assolaram e assolam nossos colonizados países latinos é um 4:4. Quadradinho. Alguns teóricos dizem que esse ritmo nos é mais aprazível porque lembra a batida do coração da mãe, quando ainda estávamos no útero. Ao escutar a batida constante: tum,tum,tum,tum nos lembramos da batida e apreciamos a música. Pode ser.

    E o samba? É desagradável de ouvir? Se levarmos em conta o coração sofrido dos brasileiros acredito que é o ritmo mais eficiente. Sim, porque coração de brasileiro é assim: “bate uma outra falha” como já dizia a música. É o ritmo mais adequado.

    Mas o samba foi esperto. Os homens bons da década de 60, os que moravam no Leblon, em Ipanema, todos classe média alta, pegaram o samba tradicional e o tranformaram em bossa-nova, usando acordes de jazz. Mudaram um pouco a batida do samba, mas contiuou a ser isso: SAMBA. Mas sofisticado, falando em praia, em amores urbanos, em avião, em Roleflex, etc.

    Isso foi uma revolução musical no mundo. Todas as dondocas queriam aprendera a tocar violão (antes proscritos aos malandros) para ficar na moda. A música ganhou os USA.

    1. Lindo!

      “Sim, porque coração de brasileiro é assim: “bate uma outra falha” como já dizia a música”…
      Essa falha, sincopando o 2x4, surpreende, interrompe, rag-the-time e captura o corpo da gente… É na falha que temos lugar. Fal(h)emos!
      Ai, ardido peito…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *