Comunistas da Califórnia vivem como miseráveis só para afrontarem o capitalismo






Desrespeito e desonra com o maior país capitalista, é o que fazem milhões de americanos que recusam as benesses do sistema econômico pátrio, preferindo viver como párias da sociedade de consumo, se negando a enriquecerem e prosperarem pelo trabalho, como o fazem todos aqueles que querem.






São claramente agentes dos bolchevismo internacional que lograram êxito em se infiltrarem nos Estados Unidos para conspurcarem a sociedade ideal, tornando-se um estorvo propositalmente,como quem onde reina o mercado houvesse esse tipo de gente despossuída, num contraste absurdo que jamais existiria naturalmente, dada a natureza inclusiva do capitalismo.

São cenas lamentáveis.
https://www.youtube.com/watch?v=YZvUoepzbwY

Facebook Comments
Compartilhar

11 comentários sobre “Comunistas da Califórnia vivem como miseráveis só para afrontarem o capitalismo

  1. Isso ocorra porque esses comunistas subversivos e agitadores não conhecem Ludwig Von Mises que tem uma proposta muito fácil para acabar com a miséria que é se esforçar ao máximo para conseguir vencer na vida sem um estado bolchevique e inchado oferecendo-lhe mordomias. Temos exemplos nítidos do quanto a meritocracia é real. Veja os filhos do deputado Jair Bolsonazi o candidato dos homens bons da pátria e dos pobres de direita. Todos venceram na vida por esforço e não porque o papai ajudou. 😉

  2. Só o capitalismo selvagem promove inclusão e igualdade. Se isso não ocorreu na Califórnia não é culpa do governo, é culpa dos agitadores comunistas que nunca leram o Mimimises autor de livros de ficção científica favorito do Rodrigo Constantino. E se é culpa do governo é porque o liberalismo a economia liberal ainda está sendo usada de forma tímida. O negócio é diminuir ainda mais o estado, deixando-o quase invisível.

  3. Esses comunas americanos fazem jogo sujo, vão acabar prejudicando a iniciativa privada, a boa fonte de renda e o bom negócio cultural de levar gringos ianques para conhecer nossas favelas.
    Assim os turistas superiores de norte-américa vão preferir ficar lá, dando preferência ao turismo interno superior de iu-éssi-uei, visitando suas próprias favelas metroviárias sem ter que descer ao exótico terceiro mundo latrino.
    Vão perder renda desse modo os bons agentes de turismo favelal, os chefes locais do comėrcio privado de substâncias que controlam as entradas e saidas dessas regiões privilegiadas, além do pessoal da lei e dá ordem que dá licença nas upepês.
    E a cultura nacional ban-anal, que não será mais lembrada, as gargalhas, pelos gringos contando para seus amigos as maravilhas dos trópicos ban-anais.
    Disgusting!

  4. DZIEN DOBRY!
    MESTRE HARI e demais Confrades….
    Já dizia um antigo Confrade meu, que “Comunista é tão ladino que se esconde em baixo de um lençol estendido na cama e ninguém percebe”, e eles estão lá, na terra prometida, infelizmente. Deve ser por isso que um bastião da famiglia, propriedade, intelectual conceituadíssimo nas hostes da nobreza tupiniquim, não foi para lá!
    https://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/10/lobao-vira-piada-na-internet-apos-desistir-de-deixar-o-brasil.html

  5. Mentira !
    Essas fotos não são do poderoso EUA.
    Onde já se viu que existem esse tipo de gente e moradia no melhor país do mundo !
    Uma é de São Tomé das Letras e a outra de uma estrada vicinal em Jundiaí.
    É que eles sabem inglês.

  6. Ora, grande parte são atores de hollywood interpretando mendigos e sem tetos. E quem me garante que isso não é na Venezuela? As placas estão em inglês? Tanto faz como tanto fezes, os venezuelanos não sabem ler.

    O estadozunidos conhecidos por n´s, homens de benz, é a Disney, Universal Studios Park, Miame e etc.

  7. Cheguei encachaç, digo, uísquidozeaneado, e apliquei um correctivo na dona encrenca. Ele me perguntou por que eu estava fazendo aquilo. Eu respondi que não sabia, mas ela sabia. Era por atos indeterminados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *