Sob o comando de um homem bom Alagoas se destaca

Bons governadores
Dois homens bons que trabalham pelo nordeste

O bom governo é a característica angular dos homens de bem, quando estes se sacrificam em prol da sociedade gerindo a coisa pública. Mais uma vez temos a comprovação prática disto com nosso amado irmão de Alagoas, Teotônio Filho, que não só tirou seu estado do atraso, como o colocou à testa do desenvolvimento econômico nordestino. Os ótimos indicadores sociais demonstram que quando bem administrado qualquer província do país pode progredir, e aquela capitania caminha para ser um cartão postal do progresso brasileiro, colocando o atual governador como o candidato natural a vice presidência do país na chapa dos homens bons, desde já vitoriosa.

Não é de hoje que Alagoas produz bons frutos para a nação pois desde os tempos colloridos temos a certeza que lá, onde a ordem social e os estamentos são respeitados, está o verdadeiro exemplo de administração, com respeito e honestidade, sob o comando dos homens bons, de onde tiraremos as lições para serem aplicadas em outros estados quando o Brasil for definitivamente liberto do marxismo dilmolulista. Alvíssaras.

Facebook Comments Box
Compartilhar

10 thoughts on “Sob o comando de um homem bom Alagoas se destaca

  1. Fico muito emocionado quando vejo um bom exemplo do governo dos homens bons e de benz. No caso, o moderníssimo estaleiro que será criado no estado, que aguarda a melhor oportunidade para isso. Essa foto vai direto para a frente do açucareiro, para que até as moscas saibam disso. Alvíssaras!!

    1. Revoltante: bichos são tratados como pobres em São José dos Campos

      Causou revolta em Higienópolis a maneira como a polícia tratou cães e gatos durante a desocupação do Pinheirinho. Um verdadeiro absurdo, corrigido a tempo pelo Barão de Pindamonhangaba.

      http://tiacarmela.wordpress.com/2012/01/23/revoltante-bichos-sao-tratados-como-pobres-em-sao-jose-dos-campos/

      Que absurdo, coitado dos bichinhos tratados como a gentalha, que maldade….

  2. Lá, nas Alagoas, se prestigia e financia quem merece, a boa elite usineira, gente de escol, evoluida, esclarecida, progressista e sobretudo solidária e patriótica.
    Se não for verdade que me desminta os bons gestores intelectuais colloridos e teotônicos, a mansa HH, ou aquela cordial jagunçada, digo, segurança, dos bons coronéis de arribação, verdadeiros alcool-açucareiros, tamanha a doçura e o desprendimento altruista com que tratam aquela malta, aquela gentalha desqualificada, indolente e arruaceira, infiltrada e manipulada por comunistas, conhecida como bóia-frias, vagabundos que vivem bebendo cachaça e promovendo distúrbios e reclamações sem fundamento.
    Daí o grande avanço do estado alagoano, o único do nordeste que se destaca em meio a baixa na qualidade de vida, recuo de emprego e renda, e descaso dos demais estados da região, governados pela quadrilha Dilmollullista ou seus aliados perversos.
    Bahia, Ceará, Sergipe e Pernambuco, chafurdam na miséria e corrupção socialista-petralhal, enquanto que as Alagoas dos bons aliados do Mais Preparado, o Almirante do Tietê, Dom José, e os rapazes e moças do bom DEMO e do Partido Só De Bens decola rumo-a-modernidade-com-um-choque-de-gestão-de-última-geração-coisa-de-primeiro-mundo!
    E viva as Alagoas!
    E viva Dom José!

  3. Grande Serrista Hariovaldo:
    Ah como tenho saudades da boa terra das Alagoas de S. Miguel.
    Eu que moro na Bahia de todos os carnavais, vez por outra ia até Maceió e sempre por Penedo, o que é um passeio maravilhoso. Na última vez que lá estive, estava refastelado, jantando num bonito restaurante, e eis que na rua um carrão dirigido por um imberbe menino passou o sinal vermelho e bateu numa Kombi velha dirigida por um motorista desses pobres. A polícia chegou e claro que prendeu imediatamente o pobre (lógico) depois de ouvir a dona do restaurante afirmar que o menino rico tinha toda a razão e que lugar de “gentinha” era na cadeia (eu ouvi isto e ela não viu o acidente, eu vi).
    No outro dia iríamos a uma recepção e a minha mulher resolveu ir ao salão de beleza. Perguntada se o “Magalhães” era da família ACM, ela, a minha esposa que é comuna disse que “não graças a Deus”.
    A cabeleireira inquisidora começou o trato no cabelo da minha comuna esposa e passados dez minutos esta boa funcionária arrastou-a da cadeira porque uma moça de FAMÍLIA estava chegando e tinha prioridade por STATUS. A minha cara metade esperou ali com o cabelo desarrumado por duas horas até a boa moça de família desocupar a cadeira.
    Depois disso não fui mais à democrática Alagoas porque divido a minha alcova com uma vil Lulista e tenho que obedecer senão tem greve. Mas convido a todos o confrades em S. Serapião a visitarem esse idílico lugar onde pobre não tem vez nem voto.
    (NB) isto é absolutamente verdade

  4. Alagoas, alagões, alagados
    tudo em família
    que coisa linda esse par de merdimbucas!
    agora o nordeste vai mesmo, mas é para a put.. pujança que o levará de volta para o futuro

    só falta combinar quem vai ficar com o bolsa-família privatizado!
    alvi, digo,sujíssaras!

  5. Preclaros e louváveis cidadãos de bem que frequentam este nobre espaço cibernético de opinião.
    Quando dizemos que a petralhada, que impõe sua cartilha marxista à sociedade e envenena as familias, não estamos brincando. Vejam este triste desabafo pinçado numa rede social. Vejam, por São Serapião, o mal que esta corja bolchevista fez a uma outrora casta e pura mãe de família, o que causou grandes transtornos emocionais na alma de seu petiz:
    https://twitter.com/#!/jastwt/status/168079030661292033
    Que Serapião, O Vingador, justice mais este grave atentado à moral da família brasileira!

    1. Caro Dr. Leôncio, fica provado por A+B, que sempre temos razão. Uma mãe idiota, pode ter um filho inteligentíssimo como o rapaz twittero, nesta caso, uma mãe idiota útil (capaz de gerar tão lúcido brasileiro).
      Na antiga Esparta, as mães, principalmente as idiotas eram supervisionadas por alguém do conselho, sempre que pariam, prevenindo assim, erros e imperfeições que as pobres mulheres embotadas pela efêmera alegria maternal, deixavam passar desapercebidamente. Claro que os indesejados eram jogados precipício abaixo.
      Por uma sociedade mais Espartana e Serrista. Amém.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.