Privatização da água deterá o abuso da gentalha

A necessidade didática da privatização da água acaba de ser brilhantemente defendida pelo grande empresário do ramo alimentício Peter Brabeck-Letmathe, que já atua na área em algumas cidades, onde a riqueza líquida já está sendo corretamente mensurada, para que se evite desperdício, gastando-a com pessoas desnecessárias.  Felizmente, esse é o futuro inevitável, em se tratando do precioso recurso natural, posto que é finito.

Corajoso por dizer a verdade, Peter, afirma com todas as letras o que nós, os homens bons, já sabemos, a água não é um direito e todos devem pagar por ela, principalmente a gentalha. Por conseguinte, o líquido vital deverá ser entregue às companhias dos homens de bem, para que as mesmas administre as cobranças de direito, auferindo os lucros correspondentes, afim de que didaticamente o povo aprenda o valor da vida. Toda pessoa pagará milimetricamente pelo que consumir, além do que lhe couber no cálculo do índice pluviométrico per capita, a cada chuva, para que assim haja justiça e equidade nas cobranças, sendo que os custos das garrafas de água Evian, Aqua Lucerna e Perrier poderão ser abatidas no total a pagar, dando direito inclusive a restituição do que foi consumido a mais em água importada, uma medida salutar.

38 comments for “Privatização da água deterá o abuso da gentalha

  1. Natan
    6 de junho de 2013 at 21:41

    não aprovo a privatização da água, a água é um matrimonio publico e ninguém tem direito de, efluir dessa riqueza para o próprio enriquecer a nestlé.
    Palavras sujas que provocaram estupor, sobretudo quando se tem em conta que a Nestlé é a líder mundial na venda de água engarrafada. Um setor que representa 8% de seu capital, que em 2011 totalizaram aproximadamente 68,5 bilhões de euros.
    imaginem a fornada de dinheiro, com certeza não a provo esse absurdo.

  2. 27 de Abril de 2013 at 15:58

    Estou com sede, abraços.

    • 28 de Abril de 2013 at 12:51

      Pois não! A garrafinha de 500ml é apenas R$ 2,98.
      Compre antes que a nestlé acabe com esta mamata!

  3. 24 de Abril de 2013 at 21:44

    À uma hora atrás, voltei aqui para ler os novos comentários deste post. Passei pelo texto e cliquei no nome do filho da pátria que se acha o dono da água. Fui parar lá no site do turcomunista Nassif.

    Num dos comentários, havia uma foto que resume toda atenção que este moleque merece:

    Faltou acrescentar: Suas filhas, netas, sobrinhas…

    • Pe. Iscariotes
      24 de Abril de 2013 at 22:59

      Raivoso cãozinho, ele mandou avisar que privatiza sim , mas não tem serviço delivery gratuito.

  4. Dr. Aratinga Weddellii
    24 de Abril de 2013 at 19:15

    Mestre Hydróphilo e Crystallino,
    De imemmoráveis tempos, d’antes sem ley, a lucta pela terra. Até que se fez a ordem nobiliarchica, que nos brindou com as escripturas de proppriedade. Tuuuudo privatizado. Terra tem dono.
    Na terra proprietária, com a creação de animaes, avançamos. Boi tem dono, galinha tem dono, cavallo, porco, vida tem dono. A plantas da terra tem dono. O allimento dellas resultantes, tem dono.
    Porque não a ágoa? Pois!
    De facto, houvesse a creação da Hydrobrax, quaes não seriam as maravilhas, d’ágoa benta pello deos mercado… !
    O enfarruscamento do uso plébico, o abuso da gentalha (apre!) de alguma forma tem que ser controllado.
    Criemos a ley Hydroemphyteotica. Salve a Hydrobrax!
    Amplexos

    Emphyteose – é o contracto que faz o emphyteúta com o senhorio

  5. CYRANO
    24 de Abril de 2013 at 18:26

    DZIEN DOBRY!
    Apesar dos enormes esforços das ONGs internacionais para doutrinar o populacho, nada foi resolvido, e desconfio que alguns fizeram na minha piscina de águas termais. Báh!

  6. Kid Prado
    24 de Abril de 2013 at 15:54

    Caro primo-professor
    O grande empresário estrategicamente deixou de mencionar a ar que respiramos, ou vai lançar a ideia em outra oportunidade. Estes é um produto que vem sendo desperdiçado desde a criação do mundo, notadamente pela pobreza que respira fundo por três refeições diárias, pela merenda das crianças, pela matrícula nas escolas, por melhores condições de saúde e, mesmo assim, não conseguem. A recémfalecida dama de ferro não chegou a pensar nisto não?

  7. SáeBenevides
    24 de Abril de 2013 at 14:40

    Mestre,

    veja a baderna que os comunistas chilenos andam a fazer:

    Organizaciones piden fin a privatización del Agua

    Santiago, miércoles 24 de abril de 2013, El Ciudadano.

    – Millares marcharon hoy por un cambio en la administración del agua en Chile: piden fin de la privatización del recurso. Tres columnas de manifestantes de regiones se reunieron esta mañana en el frontis de la Universidad de Santiago para marchar en el Día Mundial de la Tierra por el derecho al agua. Durante el avance de las columnas hacia la Plaza Los Héroes se fueron agregando centenares de adherentes y organizaciones sociales, las que sumaron varios miles de personas.

    Pinochet neles !

  8. Joseph Hill
    24 de Abril de 2013 at 14:12

    Líquido e Certo Mestre,

    Já vejo novas oportunidades de negócio para atender todas as classes econômicas.

    A comercialização de água tipo A, provenientes das fontes cristalinas de Campos de Jordão.

    E para atender aos demais extratos da população, a água tipo C, consistindo da “água de reuso”, disponibilizada atualmente pelas companhias de saneamento, como a Sabesp, como subproduto do tratamento de efluentes.

    Até mesmo o barbudo Marx reconhecia a capacidade de inovação do capitalismo.

    • Pe. Iscariotes
      24 de Abril de 2013 at 23:02

      Insípido, inodoro e incolor Joseph Hill. Apoiado.

  9. Julio Cesar Fregguesia, professor de historinha
    24 de Abril de 2013 at 12:16

    Excelente idea Mestre Hari!
    Privative, privatize já! Não só a água da chuva, mas também dos rios, córregos, lagôas, cascaptas, poças etc, etc. Já vislumbro o tal de Jequitinhonha nas mãos de justos senhoures sérios e empreendedores. Passará obviamente a se chamar Jequitix, mais apropriado ao idioma civilizado do North e o melhor, nunca mais veremos essas lamentáveis scenas!


    • 24 de Abril de 2013 at 14:50

      Boa tarde.

      Caríssimo Julio Cesar Fregguesia, professor de historinha.

      Na segunda foto, vejo duas damas, uma delas, utilizando roupa colorada.
      Pergunta-se: esta dama é pública, ou seja, solteira, ou está, de já, privatizada? Este tipo de privatização compensa, e, como sempre, para o privatista. Pernonas!!!

      Saudações “Lula, colunista do NYT, mesmo veículo onde FHC foi dispensado por ‘insuficiência de retorno midiático’“,
      Morvan, Usuário Linux #433640. Seja legal; use Linux.

  10. Coronel Lalado
    24 de Abril de 2013 at 12:13

    Caro prof. D’Almeida Prado,

    Que bela solução professor!! Se estas redes de televisão tivessem um mínimo de interesse público, esta sua pessoa não sairia do vídeo com ideias tão boas como esta. Mas a bilionária mesada petralha, distribuído a título de midia técnica, impede o livre debate de ideias nossas.

    Com medidas concretas e corretas como esta, seria o fim do flagelo que é a indústria das enchentes, se alguém reclamar de enchente vai ter que pagar pelo excesso de consumo de água, obstrução ilegal e irregular do fluxo natural da água, e poluição dos mananciais com roupas móveis etc. Ninguém mais vai aparecer na televisão, se sujeitando a multa, reclamando das autoridades, como se todos fossem prefeitos petralhas, e tivessem tempo para isto. É a solução definitiva!

  11. spin
    24 de Abril de 2013 at 11:28

    O capitão do mato não pára de prestar contas ao seu amo, a Casa Grande agradece de corçaão. Que vergonha Sr. Barbosa, não foi esses escravocratas que te colocaram no lugar em que estás,,,eles não aceitaram nem mesmo os CIEPS do Brizola prá preto, ve se se liga cara

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/99720/Al%C3%B4-Merval-Aqui-%C3%A9-o-Joaquim-Barbosa-(parte-2)-Al%C3%B4-Merval-Aqui-Joaquim-Barbosa-parte-2.htm

    Isso também.

    http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/99736/M%C3%ADdia-j%C3%A1-recoloca-a-faca-no-pesco%C3%A7o-do-STF.htm

  12. Alexandre Afonso de Albuquerque Fidalgo Pereira de Silves
    24 de Abril de 2013 at 11:25

    Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura…

  13. 24 de Abril de 2013 at 11:25

    Ontem foi a comida
    Hoje é a água
    Amanhã vão privatizar o ar

    • Loirinha da cheirosa
      24 de Abril de 2013 at 11:43

      O ar já está privatizado a muito tempo. Nossas telefônicas são as proprietárias.

    • 24 de Abril de 2013 at 11:56

      Bom dia.

      Caríssima Ana Cruzzeli.

      Ontem foi a comida
      Hoje é a água
      Amanhã vão privatizar o ar
      ‘.

      E os balõezinhos de oxigênio só poderão ser utilizados se forem certificados pelos privatistas autorizados, como medida de controle, para deter os “balões de oxigênio piratas“.
      Admirável capitalismo velho.

      Saudações “Lula, colunista do NYT, mesmo veículo onde FHC foi dispensado por ‘insuficiência de retorno midiático’“,
      Morvan, Usuário Linux #433640. Seja legal; use Linux.

      • C Efe R tucano
        24 de Abril de 2013 at 15:27

        Saudações
        Ja acompanho este glorioso çáite, onde illumino minha inculta persona coma sabedoria do Professor e seus colaboradores.
        Muito me admira que não tenha sido proposto a tributação pelo ar consumido pela gentalha. Bastaria propor um simples exame anual e padronizar o consumo de ódois. E escalas de tributação pela atividade física. Assim sendo, um trabalhador braçal teria um índice chis, e um intelectual ou empresário um indice chis sobre cem.
        Seria uma maneira de nossos politicos atenderem a ralé e terem um exame me´dico por ano

        • Morvan
          24 de Abril de 2013 at 20:22

          Boa noite.

          Caríssimo C Efe R tucano.

          Não só por causa do sufixo no nome, Tu-Cano, o que atesta ser um dos nossos, mas, em nome da comunidade segregacionista hariovaldina, mesmo sendo eu um dos recém-egressos, bem-vindo.

          Mas (para fazer como o nosso PIG, tem que ter um Mas!) volto a insistir na certificação dos balões de oxigênio, não para proteger a gentalha, eles que se lasc. digo, que se cuidem, e sim o próprio negócio. Se não se fizer um pouco de controle, em cima da certificação de quem pode privatiz., digo, organizar, a venda de oxigênio, o negócio corre risco; o que vai ter de “Ivo” “subindo” é brincadeira. E nem vai adiantar alegar que o “Ivo apresentava complicações respiratórias anteriores“. Não se esqueça dos chatos vermelhoides e abelhudos. Eles acabarão encontrando muitos e muitas “Dr. Jackill / Hide“…

          Saudações “Lula, colunista do NYT, mesmo veículo onde FHC foi dispensado por ‘insuficiência de retorno midiático’“,
          Morvan, Usuário Linux #433640. Seja legal; use Linux.

    • Muarina da Santa Inocência Hilária
      24 de Abril de 2013 at 12:36

      Não vejo nenhum motivo para permitir que as pessoas respirem gratuitamente. É um absurdo, contrário a todos os princípios dos homens bons e do santo mercado.

    • Pe. Iscariotes
      24 de Abril de 2013 at 22:50

      Oras Donana, já dizia aquele comunista Brecht :

      “Privatizaram sua vida, seu trabalho, sua hora de amar e seu direito de pensar. É da empresa privada o seu passo em frente, seu pão e seu salário. E agora não contente querem privatizar o conhecimento, a sabedoria, o pensamento, que só à humanidade pertence.”

  14. SáeBenevides
    24 de Abril de 2013 at 10:54

    Líquido e Certo Mestre,

    mais um bom exemplo que vem de nossos mais evoluídos hermanos.

    O grande benfeitor Piñera, que dirige o Chile com magnanimidade e justiça social, já privatizou a água naquelas andinas plagas. Como tem de ser; quer beber água, que pague!

    Com a administração moderna e científica por parte de multinacionais detentoras da arte de administrar a água, o país progride. E mais: a gentalha vagabunda que não quer trabalhar, morre de sede, deixando a Terra de Pinochet melhor e mais pura.

    Heil !

  15. Mariana Martins
    24 de Abril de 2013 at 10:04

    Príncipe subaquatino,

    Tô mui preocupada, pois ficou pensando em Águas de Lindóia, Águas de Saint Peter e :
    As águas vão rolar,
    Garrafa cheia eu não quero ver ….

  16. Heydrich
    24 de Abril de 2013 at 9:26

    Veja só querido mestre, a decadência de um jornal. Não conseguindo mais homens bons para articulistas tipo mervais de qualidade, o NYTimes contrata o retirante de Garanhus. Em poucas semanas este jornal dos irmão maiores do norte pedira falência na justiça especializada.

  17. emerson57
    24 de Abril de 2013 at 9:16

    tio hari,
    terá V. sapiência declarado a cassa ao voto para eleger nosso representante çerra 45 em 2014?
    pergunto motivado por esse post. afinal todos sabemos que çerra é o rei da sabesp.
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=uvGrUfMJGX0
    pergunto:
    afinal quem é o teu homem?
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=CpKLRxtFzmI#t=16s

    • emerson57
      24 de Abril de 2013 at 9:17

      é “cassa” mesmo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  18. Avellar d'Arcebo y Arrrabal
    24 de Abril de 2013 at 8:55

    Já não era sem tempo! Afinal, outras águas já recebem esse tratamento há anos e issos tem feito muito bem a humanidade. Um exemplo disso são as aguas listadas abaixo, que consumimos no dia-a-dia em nossa humilde choupana:
    Bollinger Blanc de Noirs Vieilles Vignes Francaises 1997, Dom Pérignon,
    Krug Clos du Mesnil, Cristal Louis Roederer, Veuve Clicquot, dentre outros …
    Alvíssaras.

  19. 24 de Abril de 2013 at 8:41

    Bom dia.

    Ideólogo e mercadológico Hariovaldo. Senhores e senhoras da comunidade sacripanta TFPista.

    Na verdade, nada do que este senhor Peter Brabeck-Letmathe (se eu tivesse um nome horroroso destes, eu também seria patif., digo, C.E.O) fala é inédito; no meu artículo Aos vencedores, os tomates, citei a Guerra da Água, onde a empresa Bechtel impediu, durante bastante tempo, que o canelau boliviano coletasse água da chuva. Muito bem pensado, pois água, mesmo advinda “lá de cima”, é da “zelite“.
    O perigo, grande formador de opinião serapiônico, é que, a exemplo da ninguenzada da Bolívia, outros povos tentem resolver “no pau“, que é a única linguagem que a nossa “zelite” entende, tanto que logo logo o canelau radicaliza, a gente negocia… e perde. O STF4P sabe disto como ninguém.

    Eu teria só uma sugestão para o sr. Peter Brabeck: porque ele não socializa as netas dele? Seria a contrapartida perfeita.

    Saudações “Lula, colunista do NYT, mesmo veículo onde FHC foi dispensado por ‘insuficiência de retorno midiático’
    Morvan, Usuário Linux #433640. Seja legal; use Linux.

    • Pe. Iscariotes
      24 de Abril de 2013 at 9:37

      “a empresa Bechtel impediu, durante bastante tempo, que o canelau boliviano coletasse água da chuva”

      Caro Morvan, parece que já vi este filme, seria o Quantum of Solace ? Não prestei atenção nas falas porque o bom 007 está sempre em ação constante matando com direito quase divino (inglês) a gentalha que insiste em se interpor em seu caminho. Mas os diálogos são a parte menos importante no roteiro não é mesmo ? Abraços.

      • 24 de Abril de 2013 at 10:03

        Bom dia.

        Pe. Iscariotes.

        No caso, é a ficção imitando a vida. O caso da Bechtel existiu, como ainda hoje, em várias partes no mundo, os biocapitalistas tentam impedir que pessoas tenham acesso a sementes e à terra. Não existiria o nosso “querido” capitalismo sem o judiciário para enquadrar o povaréu. Sem o controle total dos meios de produção, adeus capitalismo.

        Saudações “Lula, colunista do NYT, mesmo veículo onde FHC foi dispensado por ‘insuficiência de retorno midiático’“,
        Morvan, Usuário Linux #433640. Seja legal; use Linux.

  20. 24 de Abril de 2013 at 7:26

    Mas que canalha! Que morra e vá fazer companhia para a Thatcher!

    Errr… Desculpe-me professor, é que eu acordei agora e estava sonhando com um mundo onde os tiranos seriam afogados numa tina de agua…
    Pelo jeito, eu encontrei o primeiro… E a água deveria ser deveria ser duma fonte de uso publico!

    PROPONHO a estatização das empresas que produzem e/ou processem alimentos! Vamos começar pela nestlébras!

    • Muarina da Santa Inocência Hilária
      24 de Abril de 2013 at 12:42

      A Dona Margarete, a essas alturas, pagaria um bom dinheiro por uma aguinha, se pudesse. Deve estar sentindo um calor…

      • 24 de Abril de 2013 at 14:27

        Boa tarde.

        Caríssima Muarina da Santa Inocência Hilária.

        A Dona Margarete, a essas alturas, pagaria um bom dinheiro por uma aguinha, se pudesse. Deve estar sentindo um calor…’.

        O grande problema de La Tatcher não é só a sede. Aquele cheiro de enxofre…

        Saudações “Lula, colunista do NYT, mesmo veículo onde FHC foi dispensado por ‘insuficiência de retorno midiático’“,
        Morvan, Usuário Linux #433640. Seja legal; use Linux.

        • Pe. Iscariotes
          24 de Abril de 2013 at 22:57

          No inferno argentino, com direito a milongas ad eternum. Amém.

  21. Evo
    24 de Abril de 2013 at 6:43

    Prezados homens de benz

    Resta-nos agora repetir, repetir e repetir ate que todos aceitem isto como algo de fato verdadeiro( eu sei que eh verdade), mas a gentalha ignara, os intelectuais de esquerda, ow raca… Entre outros nao acreditam, devemos usar as tecnicas freudianas para convencer o publico de tal necessidade e com isso abrir mais uma area da economia para usufruir-mos dos lucros e com isso manter nossa plutocracia mais forte ainda, so lamento nao ter tido esta ideia antes, mas nunca eh tarde para usufruir das benesses da capacidade do homem de benz explorar os homens e mulheres que insistem em uma civilizacao tipo I, por exemplo.

    E tenho dito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *