Homens bons comemoram la Fête de la Saint-Jean com grandiosa quermesse

Homens bons se divertem não só nos fechados e finos clubes privados. Também frequentam as conhecidas quermesses, ocasião em que se dedicam a folguedos e jogos tradicionais para a época e seus diletos participantes.

Dança dos laranjas: Pode ser feita aos pares, entre casais ou não. É proibido o uso das mãos. Cada dupla, depois de colocar um milhão de euros na cueca ou na calcinha, ao começar a música deve começar a dançar e evitar que a Polícia Federal descubra. Caso aconteça, os laranjas são presos e o dinheiro apreendido. Ganha a dupla que ficar mais tempo com o dinheiro ou conseguir depositá-lo numa conta numerada na suíça.

Corrida de sacos de dinheiro – Na forma tradicional, cada participante deve fazer o percurso entre a sede da empreiteira e o local que quiser com o corpo enfiado em um saco cheio de dinheiro e preso à cintura. Hoje contudo, pratica-se uma variação que a pessoa arrasta o saco de dinheiro até a reta final, podendo acumular e levar até dois sacos.

Correio secreto delação premiada – É um serviço de mensagens prestado durante um processo crime no arraial. Réus pregos com a mão na massa pode ir até uma barraquinha e escreverem um mensagem endereçada ao juris moroscom, depositar tudo na urna existente que logo após, será expedido mandado de condução coercitiva ao destinatário o qual por sua vez, tem a chance de respondê-la colocando na cadeia todas as pessoas apontadas.

Dança pau de euros – É uma tradição milenar, originária não se sabe de onde mas bem nascida com certeza. Existe em todos países latino-americanos e no Brasil> O objetivo é realizar, por meio da movimentação das cédulas seguras pelas mãos dos participantes, uma trama multicolorida e agradável ao olhar.

Barra de ouro na tina :– Em uma bacia de boca larga, cheia de água (preferencialmente mineral de boa procedência) colocam-se barras de ouro 99,99 %, Com um pe e um braço amarrado às costas os jogadores devem tentar morder uma delas. Quem conseguir, se não quebrar os dentes torna-se o vencedor.

Corrida de malas pretas: Os participantes devem formar duas equipes, dispostas em fileiras, mas separadas por um risco no chão. Em seguida, todas entregas as malas pretas de dólares e euros que são recolhidos, embaralhados e enfileirados a uma distância de uns dez metros. Após o sinal combinado, de dois em dois devem correr até as malas, a sua e esconde-la. Então voltar para o fim da fila e tentar surrupiar a mala de outro

E há muitos outros folguedo como o “derrube a presidente” e a “ cadeia de mentirinha para corruptos”, mas a tônica sempre é a quadrilha dos homens bons que rouba a cena literalmente e em qualquer ocasião.

Facebook Comments
Compartilhar

27 comentários sobre “Homens bons comemoram la Fête de la Saint-Jean com grandiosa quermesse

  1. Bom dia Sr. Vassaly e demais da torcida jovem de Hariovaldo, o Grande,
    Gosto muito dessa época de folguedos juninos.
    Acontece que está ficando um tanto americanizada essa quadra. Festa caipira nas tradicionais escolas frequentadas pelos COXA-bambas, modernamente se transmudou em festa de Cowboy!
    A melhor parte dos jogos citados no seu textículo é que eles são sempre são ganhos por nós, os homens e mulheres bonzos danação.
    Os perdedores são sempre os 4P’s decantados em prosa e verso.
    Em 2038 inclusive já temos um vencedor: ninguém menas que ÇERRA45, vice fegacê…viiiiiiixe!
    segue a trilha sonora, nada a ver, mas eu gosxtiu!
    https://youtu.be/Zg1VjxuJiio

  2. Confrade Vassaly: Aqui em Jacuipe parece ser redundante mas chove muito, muito neste Domingo em que nos preparamos para os folguedos da noite de S. Petrus. Neste condomínio prenhe de mansões de humildes eleitores Aecianos, promovemos uma festa na sede social, mas as pessoas superiores fazem essas coisas no deck das piscinas e alguns me convidaram com a premissa que não falassemos de política (não sei porquê), mas eu prefiro me juntar aos amigos que gostam de mim assim como sou e vou para a sede. Perguntei à minha esposa (comuna eleitora de Dilma) se faríamos uma festinha em casa, mas ela foi peremptória “não vou para a cozinha fazer petiscos para desocupados vagabundos” então…
    Agora, esse tipo de festa que VExa fala no primoroso texto eu nunca vi aqui em Jacuipe porque os homens bons daqui são todos classe média baixa, humildes contribuintes extorquidos pelos impostos do PT. Quando conversam comigo dizem que são muito honestos, probos e nacionalistas etc… etc… Então eu acredito em tudo

  3. Caro Damyddiah. Estes não têm sido bons tempos pra mim. Malditas bombinhas de festas juninas! O Sfhincter fica arredio, repuxa, cavoca a terra,refuga, meneia a cabeça e me nega de banda. Osória entrou com habeas corpus preventivo, pra poder trabalhar no turno da noite, como se eu fosse capaz de impedi-la de ir e vir; De maneira, que gostaria de brincar na barraca do beijo, desde que que não me enamorasse da prenda, se isto acontecer posso ficar com a posse, mas perder a poçe. E isto não me permitirei. Mulheres!!!!
    Se as coisas por aqui se acalmarem, prestigiarei a tua festa. Vou na corrida de saco, pra ver se ele desenche e eu possa ganhar algum….(o terno encomendado ficou caro…).

    1. Veja, no tá falando que as coisas não andam boas, Dammyddiah: acabei de sentir uma certa virilidade espontânea e Osória nem tá qui. Vou correndo até o Clube Militar, espero que eu me aguente até lá, mostrar pros amigos. Cabo Djair deve estar lá, ele não sai de lá. Ele vai ver…..

  4. Por isto que eu gosto deste sitio, além de combatermos o bom combate contra o comunismo ateu, a gente aqui faz amigos. E pode se abrir à vontade, principalmente quando o Sfhincter tá fechado, digo, com a cara amarrada, negando prosa e me negando de banda…..

  5. Amigo Vassaly

    Manhã, ainda sóbrio, já tô achando que o nosso lente está já abusando demais da censura. Pelo texto ora publicado, acredito tenham sido eliminadas as partes dos prazeres carnais dos folguedos, apenas contextualizando aqueles ligados aos prazeres monetário.

    Não é possível que, após tantos “programas” de idas e vindas de sacos de dinheiro, contas numeradas e quetais, após também é claro e com certeza, de muito “bebe- bebe”, não tenham ocorridas trocas de favores entre os e as partícipes da festança, algo que apimentasse com uma certa libertinagem, a monotonia dos folguedos.

    Simplificando, nada de esbornia? Será que tudo ficará para o coitado do São Pedro?

    A todos, umas boas doses de branquinha no Domingo…

    Alvissaras

    1. Com todo o respeito ao professor Almeida Prado, mas esta frase dita por Cu-Cunha nem ele seria capaz de pensar:

      “o viciado começa na maconha, passa para a cocaína e acaba votando no PT”

  6. Caro Vassaly, caríssimos confrades e confreiras, festeiros juninos e julhinos.

    Faltou o nobre Vassaly citar a brincadeira da troca das chaves, em que as esposas dos nobres homens bons são trancadas nos quartos da mansão em que se promove a festa. Depois as chaves são colocadas em um cesto de palha (para honrar a data típica) e misturadas. Os varões (em riste ou não) cada um pega uma chave. O duro é que tem muito azarado que acaba pegando a chave do quarto onde está a própria “adversária”. Aí o jeito é chorar. Eu, se tivesse na festa, tentaria marcar a chave do quarto onde está a mulher do Aécio ou a do Temer. Coisa muitcho boa! Ops!, perdão!

    Selecinha dá outro vexame e perde pro Paraguai. O engraçado é que Urubueno, depois do primeiro gol do Brasil já contava com os ovos no fiofó da galinha e ficou dizendo o tempo todo: TERÇA NÓS VAMOS ENCARAR A ARGENTINA, GUENTA CORAÇÃO AMIGOS!

    Quer dizer, nem tinha passado 15 minutos e a besta já fazia contas da audiência que a Globo teria na terça, com o jogo Brasil X Argentina. Se deu mal. Bem feito!

    Saudações Petrolinas e Petrossauras, relativas a São Peter.

    1. Nibilíssimo Pe.
      Rogo sua benção!

      Tenho a impressão que neste santo sítio foi levemente insinuado
      que rola(ops!) uma espécie de troca troca entre os bons das altas
      espheras. Minha mente volveu à minha infância, nos tempos em
      que eu tinha que me confessar para receber a comunhão.Acontece
      que faz muito tempo que não me confesso. Então não consigo
      sopitar minha curiosidade e me atrevo a indagar se ainda hoje
      os padres perguntam para as crianças no confessionário se
      elas “fizeram porcaria”.Diante das naturais negativas, voltavam a carga
      e perguntavam se foi só uma vez ou “quantas vezes ?”. Aí o bobinho
      caía como um pato!
      Se preferir não responda ou pode mesmo suprimir esta porcaria de
      comentário!
      Ps. Faz muito tempo que não faço mais isto, ou seja, me confessar…

      1. Caro Von Kaska,

        Espero que não estejas a insinuar que nós, padres, gostamos de comer criancinhas, pois desse modo terei de excomungá-lo. Afinal, quem come criancinhas são os comunistas, já devidamente expurgados pela Santa Madre. Mas não nos tempos hodiernos onde um papa comunista e, desculpem a má palavra, argentino, está tentando subverter a ordem, reconhecendo a homodepravação e aceitando como nação ajuntamentos de palestinos “cabeças de pano”.

        O confrade Rotiel falou a pouco que hoje estamos pouco combativos. Para desmenti-lo quero deixar neste espaço meus protestos e, também meus elogios.

        Protesto contra a rede Globo que incluiu na lista do “barrigudo” delator da OMS, o nome de Aloísio Nunes, probo senador dos tucanos, primeira voz, no congresso, que prega o impichamento da Búgara.

        Elogio, porque ela, a globo, fez questão de dizer que, no caso do senador, o dinheiro recebido era DOAÇÃO DE CAMPANHA.

        Mas no caso dos petraglias era corrupção mesmo,

  7. E já que estamos falando em Festa Junina, uma homenagem a maior pamonha que Dilma já colocou como ministra. EhEEHEH! DE PAMONHA ESSA AÍ NÃO TEM NADA.

    Mas tá valendo como lembrança, já que tamo falando de um produto típico destas festas, vamos lembrar também de Sandra Curau, aquele que gostava de “melar os pleitos”.

  8. Com todo o respeito ao professor Almeida Prado, mas esta frase dita por Cu-Cunha nem ele seria capaz de pensar:

    “o viciado começa na maconha, passa para a cocaína e acaba votando no PT”

    1. Preclaro D’Amato,

      E ephêágacê dephendendo o uso christão das maconhas!? Doutor Cunha tem razão aquele helicóptero com 450 quilos de cocaína eram phundos da campanha políptica do PêTê!? Onde esptá a polípcia phederal que não prende o Lula?!

  9. Dillecto prophessor, demaes sophridos pagadores de impostos,

    Prophessor, os comentários despte síctio voltaram a andar de phasto? Ou eu esqueci os remédios?

  10. Caro colone Lalado: Quando eu tinha 5 anos, e eu sempre fui precoce, li Admirável Mundo Novo, e, pelo que entendi, o autor, um tal de Huxley, fez experiências com um tipo de droga (mescalina) e viajou nos vincos das calças e camisas, os quais considerou abismos. Passado o efeito da viagem, ele (Huxley) resolveu visitar um amigo que sofria de transtornos mentais (e que sem tomar as drogas de Huxley) também viajava nos vincos e bordas das calças, camisas e paletós. De maneira, caro coronel, que certas pessoas tem capacidade para fabricar suas próprias drogas, sem tomá-las. É o caso de Cu-Cunha, esse Admirável Homem Novo….

    1. Esse conhaque e esse friozinho me passaram a perna: o livro é As Portas da Percepção. Mas o Admirável Homem Novo continua sendo Cu-cunha………

  11. Obrigado, companheiro, seja bem-vindo a este sitio. Mas para facilitar as coisa (a memória) vou chamá-lo de Damy. Aliás poderíamos fazer uma dupla: Damy e Damato….

  12. O sítio hoje está muito devagar e conformista. Onde estão os indignados devotos de São Serapião?

    No blog do Uncle King o clima está mais quente. O Tio Rei quer a renúncia da Dilma e o Rotiel quer guerra contra a Globo!

    Do blog do dito cujo (27/06/2015 às 9:16):

    “A REPORTAGEM-BOMBA DE VEJA: O EMPREITEIRO CONTA TUDO – Renuncie, Dilma!”

    Rotiel Ad Ajev (28/6/2015 às 3:22 pm):

    Traição! A Rede Globo não está repercutindo a reportagem bombástica da Veja!
    .
    A razão é muito simples. Existe uma revista semanal da Globo com o nome de “Época”. A tal “Época” é uma decepção. Ninguém lê. Os anunciantes que fazem fila para anunciar na “Veja” estão fugindo da “Época” como o diabo da cruz.
    .
    Em vez de fechar a “Época” e estabelecer uma sólida parceria como a “Veja” repercutindo as bombásticas matérias da “Veja” no Jornal Nacional, a Globo prefere sabotar a “Veja”. No G1, por exemplo, não encontramos sequer uma notinha sobre a magnífica reportagem de capa da “Veja” desta semana.
    .
    Jà que as coisas estão neste pé proponho que nós, “vejistas” com muito orgulho, sabotemos também todos os produtos globais. Eu particularmente não assisto mais nada na Globo, nem o futebol.

    1. Caro Leitor,

      Sim há hum esphorço para soerguer a veja e a globo boicota!! É hiper-giga-mega-diphícil hum escândalo por semana, média da dupla Caneta-Cachô nos bons tempos, e agora a globo sucumbe ao imprensalão com dinheiro do petrolão e maes huma vez trai a causa.

      Todos sabemos da importância da reportagem única na credibilidade dos phactos!!

      Não entendo, seria medo do que a búlgara trama nos zeua? Aphinal é bom para todos, maes audiência, maes anunciantes!!

      E nespte momento de virose phuctebolísptica tiraria do phoco o time da globo-cêbêéphe e seos cracks-celebridades phundamentaes na rentabilidade do phuctebol competitivo de hoje!!

  13. Prezado Vassaly,
    Além da brincadeira lembrada pelo Padre Quevedo ,” a brincadeira da troca das chaves”, faltou lembrar da brincadeira “Enchendo o Cofrinho”, em que cada participante tenta colocar o máximo de cobre (cuprum) no próprio cofrinho. Só podem moedas de valor alto, podendo também patacões portugueses, desde que de prata (argentum). Ganha quem colocar mais. Apenas como curiosidade : essa salutar brincadeira via de regra acontece ao final das festas, em lugar mais reservado, ao longe das vistas das crianças e donzelas, onde o teor etílico é mais elevado e o cobre do etilizado perde o dono.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *